A Laís era, em suas próprias palavras, uma advogada jovem e infeliz. Depois de obter a sua cidadania italiana, ela resolveu fazer um curso de Confeitaria em Portugal e, posteriormente, conseguiu um emprego como gerente de uma confeitaria portuguesa em Budapeste, na Hungria.

Ela nos conta o que fazer nessa lindíssima cidade, o que é uma cantada húngara, e também sobre esse idioma que, segundo Chico Buarque, é a única língua que o diabo respeita.

Participantes:

  • Gabs Ferreira, o host que está imaginando várias das histórias dos party hostels
  • Fabrício Carraro, o host que tem histórias de Budapeste que não podem ser ouvidas
  • Laís Cordeiro, Gerente de Confeitaria em Budapeste, Hungria

Links:

  • Budapeste, livro (e filme) escrito pelo Chico Buarque, citado pelo Fabrício
  • Numbeo, site de comparação de custo de vida entre cidades, citado pela Laís

Produção e conteúdo:

Edição e sonorização: Radiofobia Podcast e Multimídia



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *